Tecnologia,

  • Os carros de um futuro próximo devem ser muito diferentes dos carros que usamos hoje. Novas tecnologias estão chegando e devem mudar até a maneira como dirigimos.

    1 - Carros que se comunicam

    Imagine que você está atravessando um cruzamento e não consegue ver um outro carro passando pelo sinal vermelho e vindo em sua direção. Esse acidente poderia ser evitado se os carros se comunicassem, acionando os freios automaticamente.

    Montadoras já estão trabalhando nessa tecnologia chamada de Vehicle-to-Vehicle communication (V2V), que deve ajudar a reduzir o número de acidentes

    2 - Inteligência.

    Os carros devem acompanhar a tecnologia inteligente

  • Obstáculos técnicos, regulatórios e de negócios ainda estão no caminho de veículos autônomos práticos e baratos

    mês de abril trouxe boas notícias para os entusiastas dos veículos autônomos. Só nas últimas semanas, o Uber anunciou US$ 1 bilhão de investimento na tecnologia, a Waymo (do Google) decidiu expandir sua operação em novas regiões e a Tesla revelou que espera lançar 1 milhão de táxis autônomos até 2020.

    Elon Musk quer transformar Teslas em exército de “táxis-robôs” em 2020

    Para Ford, carros autônomos não chegarão tão cedo como o esperado

    Está sobrando emprego no Canadá

    Quer produzir sua energia elétrica? Veja por que este

  • Apesar de ainda ser um reconhecido desafio às marcas chinesas conquistar o consumidor brasileiro, as melhorias nos carros estão ocorrendo. O primeiro carro fabricado no Brasil pela marca já está nas concessionárias

    O compacto Celer chega com carroceria hatch e sedã, em duas versões – básica e Act. Vai de R$ 38.990 a R$ 41.990. É o primeiro carro da Chery fabricado no Brasil, mais precisamente na fábrica da marca em Jacareí (São Paulo).

    O carro é equilibrado. Não há surpreendentes equipamentos nem falhas que se sobressaltem nesse primeiro e rápido contato. O test drive ocorreu na pista do Haras. Faltou uma análise em circuito urbano e solo mais irregular. O que deu pra sentir com mais precisão é a suficiente estabilidade e aceleração.

    O hatch mudou na frente. Grade, o grupo ótico e os para-choques são diferentes da geração anterior. Lanternas com lâmpadas de LED na traseira também são novidades. O sedã fugiu da clonagem do hatch, como é feito tradicionalmente pelas marcas. Tem personalidade própria. O design, de modo geral, agrada.

  • Feira de eletrônicos realizada em Las Vegas também tem espaço para carros, que deram um passo além na Internet das Coisas e se conectam inclusive à casa do usuário pela rede

    Não existem mais fronteiras para a tecnologia quando a maior feira de eletrônicos do mundo, a CES 2016, é tomada também por carros semanas antes do Salão do Automóvel de Detroit, cidade norte-americana assim como Las Vegas. Não à toa o pavilhão norte do centro de convenções que anualmente abriga o evento foi tomado por estandes de montadoras e outras empresas do setor. Aparentemente, todo mundo tinha algum tipo de inovação que deixa o carro mais inteligente para mostrar.

    Carro conceito da Faraday Future é o batmóvel do futuro: FFZERO1

    A grande supresa talvez tenha sido a Faraday Future

  • Dispositivo com GPS previsto pelo Contran funcionaria como antifurto.

    Mas Justiça decidiu que o rastreamento fere direito do cidadão.

    Peter Fussy e Glauco Araújo

    A instalação de chips em veículos, que deverá ser exigida a partir de 30 de junho próximo, também foi prevista em um segundo projeto do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). De acordo com esse plano, veículos devem sair de fábrica com um dispositivo que funciona como rastreador e bloqueador do veículo. Porém, por ser considerado um risco à privacidade, esse projeto acabou barrado na Justiça.

    O chamado Simrav, sigla para Sistema Integrado de Monitoramento e Registro Automático de Veículos, difere do Sistema Nacional de Identificação de Veículos (Siniav), que deve começar a valer daqui a 2 meses, principalmente por utilizar GPS e permitir o bloqueio remoto do veículo.

  • Empresa de tecnologia analisa o mercado e antecipa tendências

    São Paulo – Cada vez mais as empresas se voltam para garantir uma boa experiência para clientes e consumidores. A relação das pessoas com os produtos devem parecer menos uma ação de massas e mais algo natural, pró-ativo e personalizado. Além disso, o destino, a análise e a proteção da enorme quantidade de dados gerados diariamente nessas interações serão as grandes preocupações das empresas no próximo ano.

    É o que prevê um levantamento de tendências de tecnologia para 2019 produzido pela Dimension Data, empresa especializada em serviços de tecnologia de Joanesburgo, na África do Sul. De modo geral, a companhia avalia que as empresas vão acelerar a adoção de tecnologias já estabilizadas no mercado e que reconhecidamente oferecem melhores soluções para os negócios, como inteligência artificial, aprendizado de máquina, robótica e internet das coisas.

    O levantamento indica que as empresas deverão continuar investindo em transformar seu ambiente e desenvolver plataformas que sejam 100% digitais, migrando os sistemas tradicionais e adaptando a realidade do trabalho para incluir novas formas de interação.

  • O policiamento em Balneário Camboriú, um dos destinos turísticos mais procurados do país, que fica em Santa Catarina, ganhou o reforço da tecnologia. Um aplicativo foi instalado nos carros para agilizar o atendimento das ocorrências.

    A equipe fica sabendo da ocorrência pelo tablet instalado na viatura. O aplicativo informa o local exato onde os policiais devem chegar.

  • A Apple levará em breve sua plataforma de software para carros autônomos pela primeira vez às vias públicas, um passo importante que coloca a maior empresa de tecnologia do mundo na acirrada disputa para revolucionar o transporte.

    O Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia (DMV, na sigla em inglês) concedeu autorização para testes da tecnologia de direção autônoma em vias públicas, segundo aviso publicado no website do órgão na sexta-feira. Esta é a primeira vez que a Apple recebeu aprovação para um teste do tipo.

    Os testes do software começarão em breve com veículos existentes, segundo uma pessoa com conhecimento do assunto. Ela pediu anonimato porque os planos não são públicos. A Apple, que tem sede em Cupertino, Califórnia, começou a desenvolver um carro autônomo para fazer frente ao Google e à Tesla há alguns anos, mas depois recuou e no ano passado se concentrou em desenvolver primeiro a tecnologia autônoma básica, reportou a Bloomberg News.

    Os testes são o sinal público mais claro de que a Apple

  • Motorrad Vision Next 100 utiliza recurso de tecnologia que garantem segurança total do piloto

    por REDAÇÃO AUTOESPORTE

    A BMW Motorrad, divisão de duas rodas da montadora alemã, resolveu dar uma visitada no futuro com a moto Vision Next 100, revelada no dia 11 de outubro. O conceito, que parece algo tirado do filme Tron, foi pensado para daqui 30 anos, quando a mobilidade já tenha se tornado, na visão da companhia, uma área multifacetada e totalmente conectada. O lançamento da moto faz parte de um conjunto de veículos sendo anunciado pelo grupo BMW (BMW, BMW Motorrad, MINI e Rolls-Royce), como o Vision Next 100 da Rolls-Royce, em celebração dos 100 anos da fundação da marca, aproveitando o momento para pensar o próximo século em termos de mobilidade e veículos.

    Todo o conceito da BMW Motorrad Next Vision 100 foi desenvolvido para favorecer a experiência de pilotar uma motocicleta de forma clássica, mas com todas as evoluções tecnológicas disponíveis e um foco na segurança. O piloto terá liberdade total de condução, a não ser que, por questão de segurança, seja necessário a intervenção dos sistemas de assistência. O próprio formato triangular da moto faz referência à R32, a primeira moto da BMW

  • Ao completar 100 anos, BMW mira novas tecnologias no futuro.

    Mobilidade passar por grandes mudanças com Google e Uber.

    A BMW anunciou que vai se concentrar em carros elétricos e direção autônoma e no desenvolvimento de software e serviços de tecnologia como parte de uma nova estratégia da montadora centenária de veículos.

    O surgimento de rivais que incluem a empresa de transporte urbano Uber e do Google, que desenvolveu seu próprio carro que não precisa de motorista, fez a BMW repensar sua estratégia tradicional de venda de veículos grandes de luxo.

    "Estamos liderando a BMW para uma nova era", disse o presidente-executivo da companhia, Harald

    Krueger, a jornalistas durante entrevista sobre os resultados anuais da marca.

    "Para conseguirmos isso precisamos investir em tecnologias inovador

  • O governo brasileiro quer aprofundar os estudos sobre a construção da Corredor Ferroviário Bioceânico. A informação foi divulgada pelo Ministério dos Transportes. Na semana passada, representantes do Brasil estiveram em uma reunião sobre o assunto, em La Paz, capital boliviana.

    De acordo com o Ministério, o encontro teve a participação também de representantes dos governos do Paraguai, Uruguai, Bolívia e Peru. Ficou definida a criação de um grupo de trabalho formado por um representante de cada país para discutir a viabilidade da obra.

    O projeto da rota bioceânica é o de uma ferrovia de mais de 3 mil quilômetros, cortando países sul-americanos e integrando o fluxo de mercadorias entre os oceanos Atlântico e Pacífico. Na reunião da semana passada, o Brasil reforçou sua posição a favor da obra, que encurtará a distância em relação aos principais mercados mundiais

  • Abastecer na tomada sai de graça em supermercados e shopping centers

    Para abastecer o carro elétrico na tomada, não tem fila. Pelo contrário. Enquanto a Aneel não regulamenta a venda de recarga para automóveis, shopping centers e supermercados oferecem eletricidade de graça e vagas de estacionamento exclusivas — cortesias para atrair um público bastante seleto. 

    Segundo a Anfavea, 1.260 carros elétricos foram emplacados este ano (0,2% da frota). A estatística considera modelos puramente elétricos (que carregam na tomada, como um telefone celular) e outros nem tanto: elétricos com gerador auxiliar e elétricos híbridos (com um motor a combustão para dividir o esforço). Estes últimos precisam visitar o posto, mas tão pouco que deve dar para aguardar o fim da crise de abastecimento. Segundo a BMW, o esportivo i8 pode rodar 50 quilômetros com um litro de gasolina.

    O BMW i8 custa caro (R$ 800 mil), mas você pode recuperar o investimento com a economia de combustível. Ao dividir o esforço entre um motor elétrico e outro a combustão, o modelo roda 50 quilômetros com um litro de gasolina, segundo dados do fabricante. (Menos otimista, o teste de consumo feito pelo Inmetro registrou 11,3 km/l na cidade). Em 2018, 12 unidades foram emplacadas no Brasil.

    O BMW i3 pode se alimentar exclusivamente de eletricidade. Seu motor a combustão é meramente um gerador estacionário, para recarregar as baterias em viagens mais longas. Após vender 26 unidades (por cerca de R$ 170 mil), em 2017, o modelo ainda não registrou um único emplacamento em 2018. A BMW suspendeu a importação à espera de um novo programa governamental de incentivo à indústria automotiva,

  • A Volvo já está quase pronta para testar os seus carros autônomos em vias públicas e, segundo informações do site iTnews, isso deve acontecer em 2017. A empresa está se dedicando na criação de automóveis de produção viável, que possuem uma rede complexa de sensores, lasers e câmeras, juntamente com um sistema baseado em nuvem.

    O projeto, batizado de "Drive Me", está no seu segundo ano e vai colocar os carros nas ruas da sua cidade natal, Gothenburg, na Suécia. O que se sabe, até agora, é que a tecnologia dos veículos será integrada com o tráfego real das vias.

    Ainda segundo a fonte, a Volvo afirmou que o sistema de condução foi criado depois de uma uma análise extensa de falhas potenciais. Para que o sistema de piloto automático funcione corretamente, está sendo usada uma combinação de câmeras, sensores, GPS e radar para fazer o rastreio do que está em volta do carro. 

    Esses sensores são capazes de gerar imagens em 360 graus e em 3D, enquanto os radares e as câmeras estão nos para-brisas trabalhando na leitura dos sinais de trânsito, condições das estradas e outros objetos que possam aparecer.

  • Tecnologia está em desenvolvimento por órgão de segurança nos Estados Unidos; veja como funciona

    O departamento nacional de segurança de tráfego dos Estados Unidos (NHTSA) está trabalhando no desenvolvimento de um sistema que bloqueia o veículo caso o motorista tenha bebido. 

    De acordo com o órgão, um bafômetro acoplado ao volante detecta se a pessoa ingeriu bebida alcoólica apenas pela respiração. Além disso, ao acionar o botão de ignição, uma luz infravermelha é capaz de fazer uma varredura sob o dedo do motorista para determinar o nível da substância no sangue.

    Se o sistema identificar que o condutor bebeu, o veículo não liga e é bloqueado. Nos EUA, o motorista não pode guiar se apresentar concentração de 0,8 gramas de álcool por litro de sangue, o equivalente a pouco mais que dois copos de cerveja. 

  • Guilherme Preta, editado por Matheus Luque

    Engenheiros do British Bloodhound Land Speed Record querem bater a marca de 1.287 km/h

    Os engenheiros responsáveis pelo veículo supersônico British Bloodhound Land Speed Record (LSR) vão apostar na energia de hidrogênio para a próxima tentativa de bater o recorde de velocidade em terra, que é de 1.287 km/h. A equipe planeja alimentar o foguete com peróxido de hidrogênio concentrado. Tudo que vai sair do carro será água e oxigênio.

    Segundo os engenheiros, o combustível vai ser bombeado a pressões muito altas em uma tela de prata. Quando entra em contato com o material, se separa em vapor superaquecido a 600 graus. “O vapor e o oxigênio são forçados através de um bico para gerar impulso”, disse à equipe. O LSR também vai abandonar os motores de combustão V8 em favor dos elétricos. A nova tecnologia ainda vai ser muito explorada nos 18 meses que antecedem o próximo teste, no segundo semestre de 2021.

  • O futuro prometido pela animação Os Jetsons, da década de 60, e pelo filme De Volta para o Futuro, nos anos 80, pode finalmente estar perto de acontecer. A empresa AeroMobil, da Eslováquia, está planejando comercializar o primeiro carro voador do mundo nos próximos 24 meses, em 2017. 

    O carro teve seu protótipo mais recente finalizado no fim do ano passado. O design faz com que o produto assemelhe-se a um helicóptero quando está no chão e a um avião quando está no céu. Em uma conferência nesta semana em Austin, nos Estados Unidos, o CEO da empresa Juraj Vaculik, declarou à Forbes que o carro está pronto e que os planos é de que o lançamento seja anunciado o mais rápido possível. 

    No site oficial da empresa, há a seguinte descrição: “AeroMobil é um carro voador que usa perfeitamente a infraestrutura criada para automóveis e aviões e abre as portas para uma viagem diferenciada. Pode ser usado no trânsito como qualquer outro carro, é movido à gasolina comum e se encaixa em qualquer estacionamento. Como avião, pode usar qualquer aeroporto do mundo, mas também pode pousar e decolar em uma pista de grama ou pavimentada com algumas centenas de metros de comprimento”.

  • Pesquisa aponta que 20% dos motoristas não usam metade dos recursos.

    Consumidores pagam mais por tecnologias que não precisam.

    Motoristas estão evitando algumas das novas tecnologias nos carros, de acordo com uma pesquisa divulgada na terça-feira (25), levantando questionamentos de que os fabricantes estariam se movimentando muito rápido para incorporar tecnologias sofisticadas.

    Montadoras estão adicionando tudo, desde destravamento remoto de carros até sistemas para autoestacionamento em seus novos modelos, conforme tentam deixar os veículos mais conectados à Internet e mais automatizados.

    Mas o relatório de direção de 2015 da companhia de pesquisas JD Power descobriu que 20% dos novos proprietários de carros ainda não utilizaram 16 dos 33 recursos tecnológicos pesquisados 3 meses após a compra - período no qual o

  • Quando você acha que os carros autônomos estarão aptos de verdade a circular pelas ruas? Para Elon Musk e sua turma, esse cenário será realidade em um futuro bem próximo. É por essa razão que, a partir de agora, todos os carros fabricados pela Tesla serão equipados com tecnologia de condução autônoma, ainda que não seja possível usá-la de imediato.

    Soa estranho, né? Como o veículo sai de fábrica com uma tecnologia que ainda não pode ser usada? Na verdade, o que a Tesla começou a disponibilizar é o hardware necessário para a autonomia do carro. O software em si ainda não está pronto para assumir o controle do automóvel. Por ora, o sistema pode apenas coletar informações que ajudarão a “lapidar” o modo autônomo.

    Basicamente, esse hardware é composto por um conjunto de oito câ

  • A Volvo desenvolveu um sistema que fornece avisos em tempo real para os motoristas sobre gelo fino ou veículos quebrados a seguir na estrada.

    A tecnologia atualmente está sendo testa na Suécia e pega dados de sensores de direção para detectar quando os pneus encontram gelo fino, por exemplo. Quando isso acontece, o carro transmite uma localização GPS para um servidor da Volvo, que então envia os dados para outros veículos próximos que são equipados com o sistema.

    Os motoristas desses carros veem um pequeno ícone de aviso no painel para alertar sobre o gelo fino à frente. O ícone ficar maior à medida que o carro se aproxima da área perigosa, afirmou o líder projetos de segurança da Volvo, Erik Israelsson, durante um evento no MWC 2015, em Barcelona.

  • Estudo da Arup revela como serão as estradas nas próximas décadas

     

    As rodovias do futuro serão feitas de materiais solares e serão controladas por tecnologias sofisticadas que se comunicam com carros, infraestrutura de estrada e sistemas de GPS. Essas são algumas das previsões do relatório "As rodovias do futuro", produzido pela Arup, uma das maiores empresas do mundo de engenharia de projetos.

     

    O estudo considera as consequências de temas que irão moldar nossas estradas no futuro: a rápida urbanização que deve ocorrer até 2050, as mudanças climáticas, o esgotamento de recursos e mudanças no comportamento humano.

Fale Conosco

Campos com (*) são obrigatórios.

Fale Conosco

+55 (62) 3321-2740
+55 (64) 99277-2314
+55 (64) 98444-1786 (whatsapp)
+55 (62) 99386-1977 (whatsapp)

Anápolis, GO 75071805, Brasil